FitMagazine

Mercado e vida fitness


Dennis Schwartz em 06/02/2015

Adoçante Faz Mal?

Você sabia que o primeiro adoçante artificial, a Sacarina, foi descoberta em 1878 por um russo que trabalhava na Universidade Johns Hopkins, em Baltimore, Estados Unidos? Pois é, depois disso vieram o Aspartame, o Acessulfame, a Sucralose, a Stevia e outros. Hoje em dia, com tantas opções de adoçantes e até mesmo de versões mais saudáveis de açúcar muitas pessoas ficam na dúvida, afinal qual a opção mais saudável e vantajosa que temos atualmente para adoçar nossas bebidas e alimentos?+++

Sacarina

É derivada do petróleo. A sacarina não é metabolizada pelo nosso organismo, portanto é eliminada sem nenhuma modificação (imagina o que isso significa?). O seu poder adoçante é 300 vezes maior que o do açúcar comum. É uma substância proibida no Canadá.

Aspartame

É 200 vezes mais doce que o açúcar, mas é instável a temperaturas acima de 100°C. Ele é o adoçante mais associado a efeitos colaterais, como reações alérgicas alimentares, dores de cabeça, enxaqueca, diabetes, entre muitos outros. Seu consumo é contraindicado para pessoas com Fenilcetonúria. Embora seja uma doença rara, pessoas acometidas por ela não conseguem processar o aminoácido Fenilalanina, presente no Aspartame. É o tipo de adoçante mais utilizado pela indústria e é consumido por aproximadamente 200 milhões de pessoas no mundo todo.

Ciclamato

Tem sabor muito semelhante ao do açúcar, porém chega a ser 40 vezes mais doce. A sua fórmula é estável a temperaturas altas e baixas, ou seja, pode ser usado em receitas que vão ao forno ou geladeira, sem perder o dulçor. É proibido nos Estados Unidos desde 1969 por haver indícios de que pode causar câncer. No Brasil é usado em alguns dos refrigerantes mais vendidos do mercado, que nos Estados Unidos são fabricados com outros ingredientes mais seguros. Por isso é bom sempre ficar atento.

Agora vamos falar sobre algumas das alternativas mais saudáveis, que podem ser usadas com moderação sem apresentarem grandes riscos para nossa saúde, e sem que tenhamos que abrir mão de sentir um sabor mais agradável em algumas bebidas e doces.

Stévia

A Stévia é extraída de uma planta chamada Stévia Rebaudiana, da família do girassol, e é cerca de 300 vezes mais doce que a açúcar. É um adoçante natural que não produz nenhum efeito colateral e por isso é o adoçante mais recomendado para o consumo humano.

Sucralose

É uma substância extraída da cana-de-açúcar com capacidade adoçante que vai de 600 a 800 vezes o poder adoçante do açúcar. É uma molécula derivada da própria sacarose, que é o açúcar natural produzido pelas plantas. Em estudo há mais de 20 anos, a sucralose foi aprovada pelo FDA em todas as categorias, e pela ANVISA, sendo o único adoçante que pode ser utilizado sem restrições, inclusive por fenilcetonúricos, gestantes, crianças e diabéticos. Alguns estudos demonstram que a sucralose é inócua à saúde, mesmo em níveis de consumo muito superiores ao necessário para adoçar, não havendo nenhum tipo de restrição ao seu consumo.

Agave Azul

Planta suculenta de origem mexicana, o Agave Azul fornece um adoçante natural e orgânico que é mais doce que o açúcar comum e por isso requer menor quantidade para produzir o mesmo nível de dulçor. Rico em açúcares nobres, como frutose e dextrose, o Agave possui baixo índice glicêmico, o que é bom. A calda de Agave pode ser utilizada em qualquer receita de forma natural e saudável, mas não é indicada para diabéticos. É importante notar que, ao contrário dos adoçantes apresentados anteriormente, o Agave possui 80 kcal por porção, portanto é preciso planejamento antes de substituir integralmente outras opções de adoçante pelo Agave, porque ele vai acrescentar calorias à sua dieta.

Uma curiosidade interessante sobre o Agave Azul é que a partir desta mesma planta é produzida a Tequila no México!

Mel

É composto por frutose e glicose mas possui também outros açúcares e é totalmente natural. Possui ainda enzimas, antioxidantes, vitaminas e minerais. Tem capacidade antibacteriana e anti-inflamatória. Porém apresenta aproximadamente 64 kcal em 1 colher de sopa, fazendo desta uma alternativa bastante calórica.

Conclusão

A conclusão que fica de toda esta análise sobre as opções de adoçantes que temos hoje em dia à nossa disposição é que, como qualquer produto industrializado e processado, é sempre bom consumir adoçantes com moderação. Nada de apertar a embalagem para esguichar adoçante no café ou no suco. Quem faz isso provavelmente está viciado no sabor do adoçante e não percebe o quanto suas bebidas ficam exageradamente doces, praticamente encobrindo o sabor dos grãos de café ou da fruta do suco.

Se você faz isso ou tem o hábito de sempre colocar adoçante em tudo que toma, faça um teste. Experimente tomar 5 xícaras de café (não de uma vez hein) sem nem uma gota de adoçante ou açúcar. Ou então tome 5 copos de suco de fruta também sem nenhuma adição de açúcar ou adoçante. Depois dessa experiência eu aposto que seu paladar vai começar a se acostumar com o sabor real das coisas e você vai passar a apreciar ainda mais estas bebidas. O café principalmente fica maravilhoso sem ser adoçado, especialmente os de melhor qualidade, que desta forma, revelam seus melhores sabores e aromas. Vale muito a pena fazer este desafio e ter um produto industrializado a menos no seu corpo. Sua saúde vai te agradecer!

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Constantin_Fahlberg
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ciclamato_de_s%C3%B3dio
http://www.minhavida.com.br/alimentacao/materias/12342-agave-tire-duvidas-sobre-esse-adocante-natural
http://pt.wikipedia.org/wiki/Sucralose